Gestão ativa em múltiplos mercados para investidores que buscam consistência, maiores retornos de longo prazo e maior exposição a risco em seus investimentos em previdência. NÃO DISPONÍVEL PARA NOVAS CONTRATAÇÕES.

Palavra
do Gestor

fevereiro 2020

O resultado foi positivo em juros e inflação. Bancos centrais pelo mundo devem cortar os juros reagindo ao coronavírus, a taxa de desemprego segue muito elevada no Brasil e núcleos de inflação estão confortavelmente abaixo da meta. No entanto, a queda de commodities deve compensar apenas parcialmente o efeito do câmbio na inflação. Seguimos comprados em títulos nominais intermediários e, principalmente, em NTNBs intermediárias e longas. No mercado internacional, tivemos ganhos com a posição para aumento de juros na curva longa dos EUA, que foi temporariamente encerrada no início do mês. Além disso, voltamos com posições nos juros mexicanos de 5 anos.

O resultado foi negativo tanto nas posições direcionais como relativas. Com a propagação do coronavírus, devemos ter um impacto maior de curto prazo na atividade econômica global. No entanto, os governos devem passar de uma estratégia de contenção do vírus para uma de mitigação de seus efeitos. As quarentenas devem ficar mais localizadas e campanhas de conscientização da população devem ganhar importância mostrando os reais riscos do vírus. Além disso, o vírus tem tido maior dificuldade de propagação em ambientes quentes e úmidos e governos devem fazer novas rodadas de estímulos monetário e fiscal. Assim, estamos gradualmente aumentando nossa alocação direcional comprando empresas ligadas a commodities e ações americanas.

Em moedas, o resultado foi negativo devido às posições em dólar australiano, coroa norueguesa e Real. Esse resultado foi parcialmente compensado por ganhos na posição vendida em peso chileno e comprada em Euro. O Fundo atualmente tem posições no Euro, Peso Mexicano e Coroa Sueca. Seguimos com posições menores no cupom cambial.

O resultado foi negativo em fatores. Nos Fatores de Ações, Tamanho foi o único fator positivo no mês. Os Fatores de Carregamento tiveram um mês negativo principalmente entre os Juros e Moedas Emergentes, enquanto Juros G10 foi a principal contribuição positiva. Os Fatores de Tendência tiveram mais um mês positivo, com destaque para os Juros e Moedas.

Por fim, na estratégia de volatilidade, o resultado foi negativo. Mantivemos posições direcionais compradas em volatilidade de moedas G10 e de commodities agrícolas. Ambas contribuíram positivamente para o resultado. Seguimos com a estratégia de “market making” de opções de Ibovespa, assim como posições relativas entre índices globais. O resultado negativo veio de posições que iniciamos no final do mês na inclinação da curva de volatilidade do SP500. Níveis atuais só foram superados na crise de 2008.

Rentabilidade

2020

2020 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ANO
FUNDO 0.46% -1.52% -1.07%
CDI 0.38% 0.29% 0.67%
% SOBRE CDI 122.72%

2019

2019 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ANO
FUNDO 2.09% -0.17% -0.20% 0.17% 0.99% 1.64% 0.97% 0.52% 0.39% 1.61% -0.67% 2.09% 9.79%
CDI 0.54% 0.49% 0.47% 0.52% 0.54% 0.47% 0.57% 0.50% 0.47% 0.48% 0.38% 0.38% 5.97%
% SOBRE CDI 384.04% 0.00% 0.00% 32.02% 181.49% 350.32% 171.42% 102.59% 83.19% 334.08% 0.00% 556.01% 164.05%

2018

2018 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ANO
FUNDO 1.44% 1.10% 1.39% 1.25% -0.98% 0.77% 1.03% -0.31% 0.29% 2.13% 0.07% 1.03% 9.55%
CDI 0.58% 0.47% 0.53% 0.52% 0.52% 0.52% 0.54% 0.57% 0.47% 0.54% 0.49% 0.49% 6.42%
% SOBRE CDI 247.23% 235.79% 260.68% 241.17% 0.00% 148.48% 189.65% 0.00% 61.54% 392.01% 14.81% 208.31% 148.68%

2017

2017 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ANO
FUNDO 0.43% 1.20% -0.06% 0.66% 2.60% 0.96% 1.53% 0.29% 0.14% 0.44% 8.47%
CDI 0.46% 0.79% 0.93% 0.81% 0.80% 0.80% 0.64% 0.65% 0.57% 0.54% 7.20%
% SOBRE CDI 94.00% 151.64% 81.30% 324.07% 120.28% 239.03% 45.62% 24.10% 81.20% 117.61%

Patrimônio
Líquido

fevereiro 2020

R$ 1.858.553.164

MÉDIO (12 meses)

R$ 1.778.744.457

Atribuição de Performance

Rentabilidade acima do CDI por estratégia.

Objetivo do Fundo

Superar o CDI
em linha com uma
volatilidade média
em torno de
4,5% a.a
ao longo do ciclo
de investimento

É bom para

Investidores com perfil moderado de risco, com o objetivo de alcançar melhores retornos no longo prazo.

Contém

Investimentos em diferentes mercados: juros, bolsa, volatilidade, moedas, inflação.

Estilo de Atuação

Gestão dinâmica com abordagens macro e micro econômicas.

Atuação

Mercados locais e internacionais, com foco em Brasil.

Início do
Fundo

17 mar. 17

Taxa de
administração

2% a.a. (administração)

Processos

Bem definidos, com clara atribuição de responsabilidades.

Filosofia
de risco

Maiores retornos controlando riscos externos.

Como funciona

Processos diligentes e retroaprendizagem constante.

1. Especialistas

Especialistas em cada mercado sugerem ao comitê operações com potencial de retorno assimétrico;

2. Comitê

Análise e questionamento entre especialistas e o comitê para a definição da alocação: disciplina, assertividade e atribuição de responsabilidades na escolha dos melhores ativos.

3. Portifólio

Definição da carteira de investimentos.

4. Execução

Execução baseada em preços e critérios técnicos.

5. Retro-Aprendizagem

Revisão do cenário;
Atribuição de performance.

Equipe

Equipe multidisciplinar, sócia do cliente no fundo.

Marco Aurelio Freire

Sócio e gestor dos fundos líquidos

Denis Ferrari

Renda Fixa Local

Fábio Longuini

Latam

Guilherme Mazzilli

Pares de Ações

Guilherme Paris

Volatilidade

Leandro Teixeira

Arbitragem de Juros

Luiz Felipe Mescolin

Dólar/Cupom

Marcus Zanetti

Ações Absoluto
Palavra do Gestor
fevereiro 2020

O resultado foi positivo em juros e inflação. Bancos centrais pelo mundo devem cortar os juros reagindo ao coronavírus, a taxa de desemprego segue muito elevada no Brasil e núcleos de inflação estão confortavelmente abaixo da meta. No entanto, a queda de commodities deve compensar apenas parcialmente o efeito do câmbio na inflação. Seguimos comprados em títulos nominais intermediários e, principalmente, em NTNBs intermediárias e longas. No mercado internacional, tivemos ganhos com a posição para aumento de juros na curva longa dos EUA, que foi temporariamente encerrada no início do mês. Além disso, voltamos com posições nos juros mexicanos de 5 anos.

O resultado foi negativo tanto nas posições direcionais como relativas. Com a propagação do coronavírus, devemos ter um impacto maior de curto prazo na atividade econômica global. No entanto, os governos devem passar de uma estratégia de contenção do vírus para uma de mitigação de seus efeitos. As quarentenas devem ficar mais localizadas e campanhas de conscientização da população devem ganhar importância mostrando os reais riscos do vírus. Além disso, o vírus tem tido maior dificuldade de propagação em ambientes quentes e úmidos e governos devem fazer novas rodadas de estímulos monetário e fiscal. Assim, estamos gradualmente aumentando nossa alocação direcional comprando empresas ligadas a commodities e ações americanas.

Em moedas, o resultado foi negativo devido às posições em dólar australiano, coroa norueguesa e Real. Esse resultado foi parcialmente compensado por ganhos na posição vendida em peso chileno e comprada em Euro. O Fundo atualmente tem posições no Euro, Peso Mexicano e Coroa Sueca. Seguimos com posições menores no cupom cambial.

O resultado foi negativo em fatores. Nos Fatores de Ações, Tamanho foi o único fator positivo no mês. Os Fatores de Carregamento tiveram um mês negativo principalmente entre os Juros e Moedas Emergentes, enquanto Juros G10 foi a principal contribuição positiva. Os Fatores de Tendência tiveram mais um mês positivo, com destaque para os Juros e Moedas.

Por fim, na estratégia de volatilidade, o resultado foi negativo. Mantivemos posições direcionais compradas em volatilidade de moedas G10 e de commodities agrícolas. Ambas contribuíram positivamente para o resultado. Seguimos com a estratégia de “market making” de opções de Ibovespa, assim como posições relativas entre índices globais. O resultado negativo veio de posições que iniciamos no final do mês na inclinação da curva de volatilidade do SP500. Níveis atuais só foram superados na crise de 2008.

Rentabilidade

2018 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. 1.44% 0.58% 247.23%
FEV. 1.10% 0.47% 235.79%
MAR. 1.39% 0.53% 260.68%
ABR. 1.25% 0.52% 241.17%
MAI. -0.98% 0.52% 0.00%
JUN. 0.77% 0.52% 148.48%
JUL. 1.03% 0.54% 189.65%
AGO. -0.31% 0.57% 0.00%
SET. 0.29% 0.47% 61.54%
OUT. 2.13% 0.54% 392.01%
NOV. 0.07% 0.49% 14.81%
DEZ. 1.03% 0.49% 208.31%
2017 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN.
FEV.
MAR. 0.43% 0.46% 94.00%
ABR. 1.20% 0.79% 151.64%
MAI. -0.06% 0.93%
JUN. 0.66% 0.81% 81.30%
JUL. 2.60% 0.80% 324.07%
AGO. 0.96% 0.80% 120.28%
SET. 1.53% 0.64% 239.03%
OUT. 0.29% 0.65% 45.62%
NOV. 0.14% 0.57% 24.10%
DEZ. 0.44% 0.54% 81.20%

Patrimônio Líquido

fevereiro 2020

R$ 1.858.553.164

MÉDIO (12 meses)

R$ 1.778.744.457

Atribuição de Performance

Rentabilidade acima do CDI por estratégia.

Objetivo do Fundo

Superar o CDI
em linha com uma
volatilidade média
em torno de
4,5% a.a
ao longo do ciclo
de investimento

É bom para

Investidores com perfil moderado de risco, com o objetivo de alcançar melhores retornos no longo prazo.

Contém

Investimentos em diferentes mercados: juros, bolsa, volatilidade, moedas, inflação.

Estilo de Atuação

Gestão dinâmica com abordagens macro e micro econômicas.

Atuação

Mercados locais e internacionais, com foco em Brasil.

Início do Fundo

17 mar. 17

Taxa de administração

2% a.a. (administração)

Processos

Bem definidos, com clara atribuição de responsabilidades.

Filosofia de risco

Maiores retornos controlando riscos externos.

Como funciona

Processos diligentes e retroaprendizagem constante.

1. Especialistas

Especialistas em cada mercado sugerem ao comitê operações com potencial de retorno assimétrico;

2. Comitê

Análise e questionamento entre especialistas e o comitê para a definição da alocação: disciplina, assertividade e atribuição de responsabilidades na escolha dos melhores ativos.

3. Portifólio

Definição da carteira de investimentos.

4. Execução

Execução baseada em preços e critérios técnicos.

5. Retro-Aprendizagem

Revisão do cenário;
Atribuição de performance.

Equipe

Especializada e multidisciplinar, sócia do cliente do fundo.

  • Denis Ferrari

    Renda Fixa Local

  • Fábio Longuini

    Latam

  • Guilherme Mazzilli

    Pares de Ações

  • Guilherme Paris

    Volatilidade

  • Leandro Teixeira

    Arbitragem de Juros

  • Luiz Felipe Mescolin

    Dólar/Cupom

  • Marco Aurelio Freire

    Sócio e gestor dos fundos líquidos

  • Marcus Zanetti

    Ações Absoluto