Atlas II

Fundo multimercado de perfil agressivo que busca retornos superiores com maior exposição a risco.

Palavra
do Gestor

março 2020

O resultado foi negativo em juros e inflação. Durante o mês, concentramos nossas posições em juros curtos e intermediários do Brasil e do Mexico. A redução da atividade econômica em consequência da pandemia do Coronavírus e a queda das commodities devem mais do que compensar o impacto do câmbio na inflação. Com isso, os juros básicos devem seguir caindo no Mexico e devem permanecer baixos por um longo período no Brasil (podendo, inclusive, cair mais). A expansão fiscal não deve impedir esse cenário benigno para os juros, desde que fique circunscrita ao curto prazo.

Em ações, o resultado foi negativo tanto nas posições direcionais como relativas. Reduzimos nossas posições direcionais no início do mês devido a expansão das quarentenas para países ocidentais. No entanto, voltamos a comprar ativos com balanços sólidos ao longo das últimas semanas, alocando capital em ações de bancos, mineração e elétricas no Brasil. Nos EUA, compramos ações de tecnologia e saúde. Ações com balanços fortes devem se beneficiar da liquidez mundial abundante mesmo em um cenário de recuperação apenas parcial da atividade econômica ao longo dos próximos meses. Um risco a ser monitorado é uma possível segunda onda do vírus na Asia. Nos pares de ações, os resultados foram negativos principalmente em pares intrasetoriais nos setores de consumo, imobiliário e telecomunicações.

Em moedas, o resultado foi negativo devido as posições em dólar australiano, Euro e peso mexicano. Essas posições foram zeradas logo no início do mês devido ao impacto no dólar da forte demanda por liquidez por parte das empresas. Ao longo do tempo, países que conseguirem operar melhor a logística necessária para retomar a atividade econômica sem sobrecarregar o sistema de saúde deverão ser beneficiados em suas moedas, bolsas e inclinações de juros. Nesse sentido, alocações em moedas asiáticas poderão ser interessantes. No cupom cambial, montamos proteções compradas como proteção ao portfólio.

O resultado foi negativo em fatores. Os Fatores de Ações tiveram um resultado negativo, as empresas de Qualidade foram as únicas com contribuição positiva enquanto os outros fatores como Momento e Valor tiveram contribuição negativa. Os Fatores de Carregamento tiveram um mês negativo principalmente por causa dos Juros e Moedas Emergentes. Os Fatores de Tendência contribuíram positivamente, com destaque para as Bolsas e Commodities.

Por fim, na estratégia de volatilidade, o resultado foi positivo com ganhos nas posições direcionais compradas em volatilidade de moedas G10 e de commodities agrícolas. Dados os níveis atuais, reduzimos substancialmente o risco nessas posições. Além disso, iniciamos 2 novas posições: (i) comprado em volatilidade de rand sul-africano contra peso mexicano e dólar australiano para 6 meses e (ii) vendido em inclinação nas curvas de volatilidade de S&P500 com prazo de 1 mês. Por último, a estratégia de “market making” de Ibovespa obteve resultado neutro no mês.

Rentabilidade

2020

2020 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ANO
FUNDO 0.77% -2.62% -5.60% -7.36%
CDI 0.38% 0.29% 0.34% 1.01%
% SOBRE CDI 203.97%

2019

2019 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ANO
FUNDO 3.32% -0.46% -0.40% 0.09% 1.36% 2.35% 1.63% 0.63% 0.46% 2.72% -0.93% 3.48% 15.07%
CDI 0.54% 0.49% 0.47% 0.52% 0.54% 0.47% 0.57% 0.50% 0.47% 0.48% 0.38% 0.38% 5.97%
% SOBRE CDI 610.53% 18.17% 251.22% 502.23% 286.50% 125.74% 98.47% 564.50% 924.10% 252.53%

2018

2018 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ANO
FUNDO 2.04% 1.56% 2.49% 2.35% -1.38% 1.03% 1.70% -1.07% 0.22% 3.71% 0.18% 1.57% 15.25%
CDI 0.58% 0.47% 0.53% 0.52% 0.52% 0.52% 0.54% 0.57% 0.47% 0.54% 0.49% 0.49% 6.42%
% SOBRE CDI 349.32% 335.13% 468.36% 454.34% 0.00% 198.78% 313.98% 0.00% 47.71% 682.51% 35.91% 317.73% 237.47%

2017

2017 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ANO
FUNDO 1.31% 2.68% 0.93% 1.57% -0.95% 0.93% 4.77% 1.43% 2.77% 0.21% 0.02% 0.68% 17.47%
CDI 1.09% 0.87% 1.05% 0.79% 0.93% 0.81% 0.80% 0.80% 0.64% 0.65% 0.57% 0.54% 9.95%
% SOBRE CDI 120.66% 309.46% 88.33% 199.41% 114.03% 595.77% 178.20% 431.33% 32.11% 3.43% 125.43% 175.58%

2016

. JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ANO
FUNDO . . . . . . . . . . . . .
CDI . . . . . . . . . . . . .
% SOBRE CDI . . . . . . . . . . . . .

*O fundo Kinea Atlas foi cindido em Kinea Atlas e Kinea Atlas II no dia 09/04/2018.

Patrimônio
Líquido

março 2020

R$ 2.483.444.771

MÉDIO (12 meses)

R$ 2.202.399.732

Atribuição de Performance

Rentabilidade acima do CDI por estratégia.

Objetivo do Fundo

Superar o CDI
em linha com uma
volatilidade média
em torno de
8% a.a
ao longo do ciclo
de investimento

É bom para

Investidores que buscam maiores retornos correndo maiores riscos.

Contém

Investimentos em diferentes mercados: juros, bolsa, volatilidade, moedas, inflação.

Estilo de Atuação

Gestão dinâmica com abordagens macro e micro econômicas.

Atuação

Mercados locais e internacionais, com foco em Brasil.

Início do
Fundo

09 abr. 18

Taxa de
administração

2,0% a.a. (administração) 20% do que exceder 100% CDI (performance)

Processos

Bem definidos, com clara atribuição de responsabilidades.

Filosofia
de risco

Maiores retornos controlando riscos extremos.

Como funciona

Processos diligentes e retroaprendizagem constante.

1. Especialistas

Especialistas em cada mercado sugerem ao comitê operações com potencial de retorno assimétrico;

2. Comitê

Análise e questionamento entre especialistas e o comitê para a definição da alocação: disciplina, assertividade e atribuição de responsabilidades na escolha dos melhores ativos.

3. Portifólio

Definição da carteira de investimentos.

4. Execução

Execução baseada em preços e critérios técnicos.

5. Retro-Aprendizagem

Revisão do cenário;
Atribuição de performance.

Equipe

Equipe multidisciplinar, sócia do cliente no fundo.

Marco Aurelio Freire

Sócio e gestor dos fundos líquidos

Denis Ferrari

Renda Fixa Local

Fábio Longuini

Latam

Guilherme Mazzilli

Pares de Ações

Guilherme Paris

Volatilidade

Leandro Teixeira

Arbitragem de Juros

Luiz Felipe Mescolin

Dólar/Cupom

Marcus Zanetti

Ações Absoluto
Palavra do Gestor
março 2020

O resultado foi negativo em juros e inflação. Durante o mês, concentramos nossas posições em juros curtos e intermediários do Brasil e do Mexico. A redução da atividade econômica em consequência da pandemia do Coronavírus e a queda das commodities devem mais do que compensar o impacto do câmbio na inflação. Com isso, os juros básicos devem seguir caindo no Mexico e devem permanecer baixos por um longo período no Brasil (podendo, inclusive, cair mais). A expansão fiscal não deve impedir esse cenário benigno para os juros, desde que fique circunscrita ao curto prazo.

Em ações, o resultado foi negativo tanto nas posições direcionais como relativas. Reduzimos nossas posições direcionais no início do mês devido a expansão das quarentenas para países ocidentais. No entanto, voltamos a comprar ativos com balanços sólidos ao longo das últimas semanas, alocando capital em ações de bancos, mineração e elétricas no Brasil. Nos EUA, compramos ações de tecnologia e saúde. Ações com balanços fortes devem se beneficiar da liquidez mundial abundante mesmo em um cenário de recuperação apenas parcial da atividade econômica ao longo dos próximos meses. Um risco a ser monitorado é uma possível segunda onda do vírus na Asia. Nos pares de ações, os resultados foram negativos principalmente em pares intrasetoriais nos setores de consumo, imobiliário e telecomunicações.

Em moedas, o resultado foi negativo devido as posições em dólar australiano, Euro e peso mexicano. Essas posições foram zeradas logo no início do mês devido ao impacto no dólar da forte demanda por liquidez por parte das empresas. Ao longo do tempo, países que conseguirem operar melhor a logística necessária para retomar a atividade econômica sem sobrecarregar o sistema de saúde deverão ser beneficiados em suas moedas, bolsas e inclinações de juros. Nesse sentido, alocações em moedas asiáticas poderão ser interessantes. No cupom cambial, montamos proteções compradas como proteção ao portfólio.

O resultado foi negativo em fatores. Os Fatores de Ações tiveram um resultado negativo, as empresas de Qualidade foram as únicas com contribuição positiva enquanto os outros fatores como Momento e Valor tiveram contribuição negativa. Os Fatores de Carregamento tiveram um mês negativo principalmente por causa dos Juros e Moedas Emergentes. Os Fatores de Tendência contribuíram positivamente, com destaque para as Bolsas e Commodities.

Por fim, na estratégia de volatilidade, o resultado foi positivo com ganhos nas posições direcionais compradas em volatilidade de moedas G10 e de commodities agrícolas. Dados os níveis atuais, reduzimos substancialmente o risco nessas posições. Além disso, iniciamos 2 novas posições: (i) comprado em volatilidade de rand sul-africano contra peso mexicano e dólar australiano para 6 meses e (ii) vendido em inclinação nas curvas de volatilidade de S&P500 com prazo de 1 mês. Por último, a estratégia de “market making” de Ibovespa obteve resultado neutro no mês.

Rentabilidade

2020 FUNDO CDI % SOBRE CDI
JAN. 0.77% 0.38% 203.97%
FEV. -2.62% 0.29%
MAR. -5.60% 0.34%
ABR.
MAI.
JUN.
JUL.
AGO.
SET.
OUT.
NOV.
DEZ.
2019 FUNDO CDI % SOBRE CDI
JAN. 3.32% 0.54% 610.53%
FEV. -0.46% 0.49%
MAR. -0.40% 0.47%
ABR. 0.09% 0.52% 18.17%
MAI. 1.36% 0.54% 251.22%
JUN. 2.35% 0.47% 502.23%
JUL. 1.63% 0.57% 286.50%
AGO. 0.63% 0.50% 125.74%
SET. 0.46% 0.47% 98.47%
OUT. 2.72% 0.48% 564.50%
NOV. -0.93% 0.38%
DEZ. 3.48% 0.38% 924.10%
2018 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. 2.04% 0.58% 349.32%
FEV. 1.56% 0.47% 335.13%
MAR. 2.49% 0.53% 468.36%
ABR. 2.35% 0.52% 454.34%
MAI. -1.38% 0.52% 0.00%
JUN. 1.03% 0.52% 198.78%
JUL. 1.70% 0.54% 313.98%
AGO. -1.07% 0.57% 0.00%
SET. 0.22% 0.47% 47.71%
OUT. 3.71% 0.54% 682.51%
NOV. 0.18% 0.49% 35.91%
DEZ. 1.57% 0.49% 317.73%
2017 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. 1.31% 1.09% 120.66%
FEV. 2.68% 0.87% 309.46%
MAR. 0.93% 1.05% 88.33%
ABR. 1.57% 0.79% 199.41%
MAI. -0.95% 0.93%
JUN. 0.93% 0.81% 114.03%
JUL. 4.77% 0.80% 595.77%
AGO. 1.43% 0.80% 178.20%
SET. 2.77% 0.64% 431.33%
OUT. 0.21% 0.65% 32.11%
NOV. 0.02% 0.57% 3.43%
DEZ. 0.68% 0.54% 125.43%
2016 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. . . .
FEV. . . .
MAR. . . .
ABR. . . .
MAI. . . .
JUN. . . .
JUL. . . .
AGO. . . .
SET. . . .
OUT. . . .
NOV. . . .
DEZ. . . .

Patrimônio Líquido

março 2020

R$ 2.483.444.771

MÉDIO (12 meses)

R$ 2.202.399.732

Atribuição de Performance

Rentabilidade acima do CDI por estratégia.

Objetivo do Fundo

Superar o CDI
em linha com uma
volatilidade média
em torno de
8% a.a
ao longo do ciclo
de investimento

É bom para

Alocadores institucionais.
FUNDO NÃO DISPONÍVEL PARA PÚBLICO EM GERAL.

Contém

Investimentos em diferentes mercados: juros, bolsa, volatilidade, moedas, inflação.

Estilo de Atuação

Gestão dinâmica com abordagens macro e micro econômicas.

Atuação

Mercados locais e internacionais, com foco em Brasil.

Início do Fundo

09 abr. 18

FECHADO PARA CAPTAÇÃO

Taxa de administração

2,0% a.a. (administração) 20% do que exceder 100% CDI (performance)

Processos

Bem definidos, com clara atribuição de responsabilidades.

Filosofia de risco

Maiores retornos controlando riscos externos.

Como funciona

Processos diligentes e retroaprendizagem constante.

1. Especialistas

Especialistas em cada mercado sugerem ao comitê operações com potencial de retorno assimétrico;

2. Comitê

Análise e questionamento entre especialistas e o comitê para a definição da alocação: disciplina, assertividade e atribuição de responsabilidades na escolha dos melhores ativos.

3. Portifólio

Definição da carteira de investimentos.

4. Execução

Execução baseada em preços e critérios técnicos.

5. Retro-Aprendizagem

Revisão do cenário;
Atribuição de performance.

Equipe

Especializada e multidisciplinar, sócia do cliente do fundo.

  • Denis Ferrari

    Renda Fixa Local

  • Fábio Longuini

    Latam

  • Guilherme Mazzilli

    Pares de Ações

  • Guilherme Paris

    Volatilidade

  • Leandro Teixeira

    Arbitragem de Juros

  • Luiz Felipe Mescolin

    Dólar/Cupom

  • Marco Aurelio Freire

    Sócio e gestor dos fundos líquidos

  • Marcus Zanetti

    Ações Absoluto