Faça parte do nosso grupo do Telegram e receba novidades. Entrar no grupo

A Kinea é uma gestora de recursos e NÃO oferece empréstimos para pessoas físicas

Pontuação de Risco

Pontuação de Risco 5

x

Pontuação de Risco A Pontuação de Risco Kinea é feita com base nos riscos de mercado, crédito e liquidez.

Início do Fundo

04 nov. 19

Taxa de Administração

2% a.a.

Taxa de Performance

Não há

Patrimônio líquido atual

R$ 691,67 Mi

Patrimônio líquido atual (12 meses)

R$ 605,78 Mi

Linha Detalhe Abas
Dots Abas

Onde investir no Prev Ações?

Rentabilidade do Prev Ações

Atualizado em Março 2021

Selecione o ano
2021 ANO JAN. FEV. MAR. ABR. MAI. JUN. JUL. AGO. SET. OUT. NOV. DEZ.
FUNDO -3.73% -3.10% -3.77% 3.25%                  
IBOV -2.00% -3.32% -4.37% 6.00%                  
+/-IBOV -1.72% 0.22% 0.60% -2.75%                  
2020 ANO JAN. FEV. MAR. ABR. MAI. JUN. JUL. AGO. SET. OUT. NOV. DEZ.
FUNDO 12.67% -0.67% -9.08% -29.90% 12.21% 10.93% 9.98% 9.23% -0.72% -4.56% 0.38% 13.82% 9.95%
IBOV 2.92% -1.63% -8.43% -29.90% 10.25% 8.57% 8.76% 8.27% -3.44% -4.80% -0.69% 15.90% 9.30%
+/-IBOV 9.75% 0.96% -0.65% 0.00% 1.95% 2.36% 1.23% 0.97% 2.72% 0.24% 1.07% -2.09% 0.65%
2019 ANO JAN. FEV. MAR. ABR. MAI. JUN. JUL. AGO. SET. OUT. NOV. DEZ.
FUNDO 6.95%                     -0.52% 7.51%
IBOV 6.31%                     -0.50% 6.85%
+/-IBOV 0.64%                     -0.02% 0.66%

Resultado da gestão

Resultado da gestão | Kinea Prev Ações

Palavra do Gestor

Data ref. Março 2021

Para ver as informações completas, acesse a Carta do Gestor.

O mês de março chegou ao fim e com ele, a paciência de boa parte dos investidores. O principal indicador da nossa bolsa, o Ibovespa, até fechou no campo positivo, mas a volatilidade enfrentada pelos agentes dentro do mês foi uma das mais elevadas dos últimos tempos, fazendo-nos lembrar inclusive dos meses assombrosos vividos naquilo que imaginávamos ser o auge da pandemia: a virada do 1º para o 2º trimestre de 2020. Ledo engano! O auge da pandemia mesmo nós estamos vivendo agora, nesse exato momento em que publicamos essa carta. Os números da pandemia em solo brasileiro ainda pioram. Estamos falando de novos casos, óbitos, UTIs lotadas, variantes mais transmissíveis, acometimento de jovens e, infelizmente, lentidão na vacinação. Esse último, à propósito, um assunto que imaginávamos que já estaria mais do que superado em março, mas pelo visto ficará mesmo é para abril, quando imaginamos que mais de um milhão de brasileiros serão vacinados por dia (na maioria dos dias do mês, ao menos). O Ibovespa mesmo começou bem março ao subir cerca de 5%, porém devolveu tudo na segunda semana quando tivemos o anúncio da possibilidade da suspeição do ex-juiz Sérgio Moro e a volta de Lula aos palanques eleitorais. Demoraram outros sete dias para a nossa bolsa recuperar os ganhos perdidos, ali pelos dias 18 e 19 de março, impulsionada pela postura expansionista do Banco Central norte-americano e pela sinalização do nosso BC no controle do risco de inflação. Foi quando, ao adentrarmos a 4ª semana do mês, percebemos de fato a escalada do vírus no Brasil ao ultrapassar os 3 mil óbitos diários. A possibilidade real de novas restrições de mobilidade, não só aqui, mas também na Europa, acirrou os ânimos e novamente o cenário político se anuviou; e a nossa bolsa voltou a entregar uma boa parte dos ganhos. A fotografia que se vê hoje, de um março fortemente positivo, se deu muito pelos últimos cinco dias do mês puxados pelas blue chips, em especial as empresas de commodities, de proteínas e os bancos. Alguns nomes que se beneficiam da reabertura da nossa economia, dentro do setor de varejo físico tradicional, também contribuíram em muito pela expectativa de que a vacinação passará a ganhar tração e cenas de normalização, como as que estamos vendo nos EUA e no Reino Unido, possam voltar a ser vistas por aqui. Somam-se a isso, diversas boas notícias no campo econômico e de desenvolvimento, como a PEC Emergencial aprovada e os esforços para melhorar a posição do Brasil no ranking de negócios do mundo. Além disso, vimos em março agora seguir adiante o veto do saneamento, o que favorece o setor, e ainda nos primeiros dias de abril presenciaremos o “Infra Week”, uma série de leilões, a serem realizados na B3, para destravar valor e oportunidades no campo da infraestrutura brasileira, como portos, aeroportos e ferrovias. Os fundos de ações da Kinea obtiveram um razoável retorno em termos absolutos, mas infelizmente não alcançaram o objetivo de superar o Ibovespa em março. Uma considerável parcela do desempenho aquém do esperado em termos relativos se deu por nomes que mais acreditávamos servir como defesa em tempos turbulentos, especialmente por conta das questões fiscais e políticas aqui no Brasil. Nomes de alta qualidade operacional, cujos resultados trimestrais têm sido excelentes, sofreram com mais uma rodada de rotação de nomes de crescimento para valor – algo que vem acontecendo desde outubro do ano passado e julgávamos que o seu efeito já havia sido praticamente realizado, o que não foi verdade. São eles: Totvs, BTG Pactual, Intermédica, Localiza e Magazine Luiza. Todos com retornos negativos (ou praticamente nulo) em um mês de avanço de 6% do Ibovespa. Por outro lado, empresas dos setores de concessões rodoviárias, shoppings centers, consumo básico, bancos e commodities contribuíram positivamente nos retornos dos fundos em março. São todas ações que chamamos de “valor”, ou seja, múltiplos mais baixos e crescimento não tão acentuado, mas que vinham figurando entre as piores performances da bolsa desde 23 de março de 2020 – o pior dia do Ibovespa na crise. Em certa medida, esses cases exigem uma contínua melhora do cenário econômico, político e sanitário, ordenando cautela e atenção para os próximos meses. Em abril, todos os olhos estarão voltados ao Plano Nacional de Vacinação. Mais do que ao ritmo da vacinação em si, que esperamos todos que ultrapasse o número de um milhão de pessoas por dia, o mercado acompanhará de perto o cronograma de entregas para o mês, principalmente depois de tantos atrasos e diversas revisões negativas de recebimento em março. Naturalmente, estamos acompanhando o caso do Chile que, mesmo com uma campanha super bem-sucedida, optou por entrar em severo lockdown, mas acreditamos que o mercado seguirá animado se pudermos sonhar com o que temos visto nos EUA, no Reino Unido e em Israel. É possível que boas notícias no campo sanitário e na agenda micro do Congresso se sobressaiam a notícias não tão animadoras assim no campo político, e principalmente fiscal. As discussões acerca do Orçamento Nacional e da possibilidade de extensão do auxílio emergencial devem marcar presença em abril, mas no balanço de forças, acreditamos que o mês pode ser bom para as empresas que se beneficiam da expectativa de reabertura da nossa economia, como o setor de consumo discricionário e alguns nomes de yield. Importante pontuar também que há chances de termos mais clareza a respeito da inflação nos EUA e isso poderia, se não estancar, ao menos suavizar a elevação dos juros americanos de longo prazo. Esse cenário promoveria uma volta das empresas de crescimento, de múltiplos mais elevados, para o topo do ranking de performance. Todavia, acreditamos que ainda é cedo para interpretar tal evento. Por isso, seguimos mais comprados em empresas de valor em nossos fundos, o que incluem bancos, serviços financeiros e commodities. Esses últimos devem surfar não só uma China que segue crescendo e consumindo, mas que compete também com os EUA em uma “guerra fria” de avanço tecnológico e investimento massivo em infraestrutura, notadamente após a apresentação do Plano Biden.

Características do Prev Ações

Para mais informações confira a Carta do Gestor.

Objetivo do Fundo

Superar o Ibovespa com um tracking error* em torno de 8% a.a ao longo do ciclo de investimento
*Tracking error é uma medida de risco que mede quão distante o desempenho de um fundo ou portfólio está do seu benchmark. No caso, o Ibovespa. Quanto maior o tracking error, maior o risco comparativamente ao Índice de referência, benchmark.

Perfil de risco agressivo

Contém

Combinação de análise Micro das empresas com a análise Macro e o cenário econômico do Brasil.

Classes de ativos

Ações de empresas listadas na bolsa Brasileira

Diversificação setorial

Buscamos as melhores oportunidades no mercado de ações, agregando valor nos diversos setores da economia.

Estilo

Combinação de uma análise fundamentalista do cenário econômico (análise macro) com uma análise estrutural (vantagens competitivas) e de momento de curto prazo das empresas (análise micro).

Fundo Long Only

O Kinea Prev Ações é um Fundo Long Only cujo índice de referência é o Ibovespa. Isso significa que o fundo posiciona-se até 100% comprando em ações de empresas brasileiras, sempre tendo como referência o Ibovespa, agregando valor ao performar melhor que o índice.

Como funciona

Processos diligentes e retroaprendizagem constante.

1. Prospecção

Gestor acompanha ativamente o mercado identificando as melhores oportunidades.

2. Avaliação

É feito um redesenho do Ibovespa em setores, sob um olhar de risco top down (macro) e bottom up (micro).

3. Aquisição

Uma vez que a relação risco e retorno do investimento atenda às exigências, o gestor irá adquirir o ativo.

4. Controle

O monitoramento de todos os ativos do fundo é realizado de forma ativa.

Equipe

Equipe multidisciplinar, sócia do cliente no fundo.

Foto Rafael Oliveira, CFA

Rafael Oliveira, CFA

Ações Long Only

Rafael juntou-se à equipe da Kinea em setembro de 2019 como responsável pelos fundos de ações long only. Anteriormente, passou pelo Credit Suisse, Itaú BBA e Banco Alfa, atuando na análise de empresas listadas de diversos setores e na gestão de portfólios de ações. Mais recentemente foi sócio do Grupo XP, atuando na gestão de portfólios exclusivos de ações. Iniciou a carreira na Gerval, family office, da família Gerdau.

Rafael é graduado em Administração pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e tem pós graduação em Economia pela mesma instituição.

Foto Guilherme Mazzilli

Guilherme Mazzilli

Ações Brasil L&S

Guilherme Mazzilli iniciou na Kinea em junho de 2015 como gestor responsável
pelas estratégias de ações dentro dos hedge funds. Entre 2010 e 2015 foi gestor
responsável pelos fundos de ações (FIA e Long&Short) da Ashmore no Brasil.
Mazzilli está envolvido na gestão de fundos de ações e multimercados desde 2005,
tendo trabalhando como analista na Bresser Asset e como gestor de Ações no
Daycoval Asset.
Mazzilli possui graduação em Administração de Empresas pela FGV (EAESP) e pós
graduação em economia também pela FGV (EESP).

Foto Marco Aurelio Freire

Marco Aurelio Freire

Sócio e gestor dos fundos líquidos

Marco iniciou na Kinea em Janeiro de 2015 como gestor responsável pelas estratégias Hedge Fund Macro. Entre 2008 e 2014 foi Chief Investment Officer dos fundos de renda fixa locais e multimercados da Franklin Templeton no Brasil.
Marco está envolvido na gestão de fundos de renda fixa e multimercados desde 2004, tendo trabalhando no Bank Boston Asset Management na mesa de renda fixa.
Marco possui o mestrado em economia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e é bacharel em economia pela mesma universidade.

Foto Marcus Zanetti

Marcus Zanetti

Ações Brasil Direcional

Marcus juntou-se à Kinea em setembro do 2016. Entre 2009 e 2016 foi analista e sócio responsável pelos setores de consumo, varejo, real estate e serviços financeiros na Bresser Administração de Recursos. Anteriormente, Marcus trabalhou na Alvarez and Marsal Consultoria Empresarial, Banco Itaú BBA e HSBC Bank do Brasil.
Marcus é graduado em engenharia de produção pela Universidade de São Paulo (POLI-USP).

Documentos recentes do Prev Ações

Nome do Documento Data da Atualização
Carta do Gestor

3/2021

3/2021
Informativo de Rentabilidade

3/2021

3/2021
Regulamento

12/2019

12/2019
Valor Patrimonial da Cota

3/2021

3/2021

Para documentos antigos acesse nossa seção de documentos.

Perguntas Frequentes sobre o Prev Ações

Quem deve investir no Kinea Prev Ações?

Investidores qualificados que buscam exposição em renda variável e retornos acima do IBOVESPA no longo prazo.

Porque investir no Kinea Prev Ações?

Para obter retornos atrelados ao desempenho da bolsa brasileira, agregando maiores rentabilidades a uma carteira previdenciária de investimentos.

Quem está apto a investir no Kinea Prev Ações?

Investidores qualificados que buscam exposição em renda variável e retornos acima do IBOVESPA no longo prazo.

Qual expectativa de retorno do Kinea Prev Ações? E de perda?

No longo prazo o Kinea Prev Ações tem o objetivo de superar o IBOVESPA com um tracking error*, em torno de 6% a.a.

Quais são as despesas do Kinea Prev Ações?

2,0% ao ano de taxa de administração, sem taxa de performance, além de despesas como custódia, legal, etc. A rentabilidade do fundo, bem como sua expectativa de rentabilidade, são liquidas de todas as despesas do fundo.

Qual mínimo de investimento do Kinea Prev Ações?

Consulte seu gerente. Essa informação depende do distribuidor do fundo.

O que é um fundo long only?

Fundo Long Only é aquele que posiciona-se somente comprado. Não tem posições vendidas, ou que se beneficiariam de uma eventual queda de preços das ações.

O que é tracking error?

Tracking error é uma medida de risco que mede quão distante o desempenho de um fundo ou portfólio está do seu benchmark. No caso, o Ibovespa.

Qual a diferença entre PGBL e VGBL?

A principal diferença entre os dois tipos de plano está no tratamento tributário dado. Em ambos os casos, o imposto de renda incide apenas no momento do resgate ou recebimento da renda. Entretanto, enquanto no VGBL o imposto de renda incide apenas sobre os rendimentos, no PGBL o imposto incide sobre o valor total a ser resgatado ou recebido sob a forma de renda. Além disso, no caso do PGBL, os participantes que utilizarem o modelo completo de declaração de ajuste anual do I.R.P.F podem deduzir as contribuições feitas durante o ano de exercício, no limite máximo de 12% de sua renda bruta anual. Já as contribuições feitas ao VGBL, não podem ser deduzidas na declaração de ajuste anual do I.R.P.F. Desta forma, o VGBL é mais adequado aos investidores que utilizam o modelo simplificado de declaração de ajuste anual do I.R.P.F ou que contribuem com mais de 12% da renda bruta anual.

O que significa VGBL?

VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livres) é um plano de seguro de pessoas com diferimento do imposto de renda (que incide somente no momento do resgate ou recebimento dos rendimentos referentes ao plano). Após o período de acumulação de recursos (período de diferimento), o investidor pode acessar o acumulado através de uma renda mensal (vitalícia ou por período determinado) ou resgatar de uma única vez. No caso do VGBL, o imposto de renda incide apenas sobre os rendimentos e as contribuições feitas ao VGBL, não podem ser deduzidas na declaração de ajuste anual do I.R.P.F. Desta forma, o VGBL é mais adequado aos investidores que utilizam o modelo simplificado de declaração de ajuste anual do I.R.P.F ou que as contribuições ultrapassem 12% da renda bruta anual.

O que significa PGBL?

PGBL (Plano Gerador de Benefícios Livres) é um plano de previdência complementar aberta com diferimento do imposto de renda (que incide somente no momento do resgate ou recebimento dos rendimentos referentes ao plano). Após o período de acumulação de recursos (período de diferimento), o investidor pode acessar o acumulado através de uma renda mensal (vitalícia ou por período determinado) ou resgatar de uma única vez. No caso do PGBL, o imposto de renda incide sobre o valor total a ser resgatado ou recebido sob forma de rendimentos. Além disso, os participantes que utilizarem o modelo completo de declaração de ajuste anual do I.R.P.F podem deduzir as contribuições feitas durante o ano de exercício, no limite máximo de 12% de sua renda bruta anual.

Outros fundos Previdência

Previdência

Fundo
Aberto

Prev Apolo Itaú

Fundo multimercado de perfil de menor risco que oferece uma alternativa para investidores com histórico de rendimentos em renda fixa mas que buscam retornos superiores em períodos de baixa taxa de juros.

saiba mais
Previdência

Fundo
Aberto

Prev Apolo XP

Fundo multimercado de perfil de menor risco que oferece uma alternativa para investidores com histórico de rendimentos em renda fixa mas que buscam retornos superiores em períodos de baixa taxa de juros.

saiba mais
Previdência

Fundo
Aberto

Prev Atlas

Fundo previdenciário multimercado de perfil agressivo com maior exposição ao risco.

saiba mais
Previdência

Fundo
Aberto

Prev Crédito Privado

Fundo previdenciário de crédito privado de alta qualidade de risco de crédito.

saiba mais
Previdência

Fundo
Aberto

Prev MM

Alternativa previdenciária para investidores que buscam retornos consistentes e superiores em períodos de baixa taxa de juros.

saiba mais
Previdência

Fundo
Aberto

Prev RF

Fundo de renda fixa previdenciário. Auxilia de forma segura e gradual o aumento de capital ao longo do tempo da reserva de aposentadoria.

saiba mais
Previdência

Fundo
Aberto

Prev IPCA Dinâmico XP

O fundo de investimento previdenciário que tem como objetivo aumentar o poder de compra ao longo do tempo, investindo nos mercados de juros, inflação, moedas e crédito privado no Brasil e exterior.

saiba mais
Previdência

Fundo
Aberto

Prev XTR

Versão previdenciária do fundo Kinea Chronos. O XTR, da mesma forma que o Chronos, investe em juros, moedas, commodities, ações, no Brasil e no Exterior.

saiba mais
Detalhe Fundo dot
Detalhe Fundo Linhas

Cadastre-se em nossa newsletter

E fique por dentro do mercado de fundos