Alternativa previdenciária para investidores que buscam retornos consistentes e superiores em períodos de baixa taxa de juros.

Palavra
do Gestor

junho 2020

O resultado foi positivo em juros e inflação. No Brasil tivemos ganhos nas posições aplicadas em juros nominais intermediários. Continuamos acreditando que a Selic permanecerá baixa por mais tempo do que o mercado coloca nos preços dos ativos. Além disso, no mês compramos inflações longas como proteção para a carteira. No México, o resultado também foi positivo com as posições em juros curtos e intermediários. Devemos ver maiores reduções dos juros no país devido à recessão profunda, inflação sob controle (pressionada apenas por alimentos) e estímulo fiscal tímido.

Em ações, o resultado foi positivo. No mercado internacional, nossa performance foi positiva no mês principalmente em virtude das nossas posições no setor industrial e nos bancos americanos. Junho apresentou uma continuidade da recuperação das ações globais, impulsionada pelo processo de reabertura econômica e forte estímulo monetário e fiscal. O mercado Europeu e Asiático apresentaram melhor performance que a bolsa dos Estados Unidos, parte como reflexo da recuperação de áreas mais cíclicas da economia, onde tecnologia, consumo e o setor industrial apresentaram melhor resultado durante o mês. No Brasil, o resultado também foi positivo. Seguimos comprados principalmente em empresas de commodities, varejo online, saúde e serviços financeiros. Além disso, estamos com 35 pares na carteira. Os ganhos nos pares vieram de posições intrasetoriais de consumo e em alocações em empresas de construção civil com foco na população de renda mais baixa.

Nossa performance foi positiva em commodities no mês em virtude de nossas exposições ao ouro, petróleo e cobre. No caso do ouro a performance pode ser atribuída à contínua queda dos juros reais americanos, crescimento dos balanços dos bancos centrais globais e consequente fluxo de investimentos no metal. Petróleo tem se beneficiado do acordo de produção da OPEP e da queda da produção nos Estados Unidos, juntamente com a recuperação da demanda pela reabertura das economias. Cobre tem o benefício da recuperação de demanda na China com problemas globais de fornecimento do metal.

Em moedas, o resultado foi positivo. Temos aumentado a venda do dólar contra o Yen, Euro e Dólar Australiano. EUA tem controlado o vírus pior do que outros países do G10. Isso pode levar a maiores dificuldades para normalizar o setor de serviços e, consequentemente, maior necessidade de estímulos monetários e fiscais. Além disso, a eleição americana tem probabilidade relevante de um candidato democrata com uma plataforma de maior regulação e tributação nas empresas.

O resultado foi positivo em fatores no mês. O fundo se beneficiou do fechamento de spread de sua carteira de debêntures. Os spreads dos ativos de crédito seguem atraindo compradores devido ao fato do carrego estar atrativo para emissores de baixo risco. Além disso, a aprovação das regras relativas à compra de ativos no mercado secundário pelo Banco Central dá suporte ao mercado. Fizemos uma alocação em mercado primário e enxergamos oportunidades de alocações em novas emissões ao longo dos próximos meses. O Fundo está atualmente 35,7% alocado em crédito com um carrego de DI + 2,97% a.a. e duration média de 3,2 anos.

Por fim, na estratégia de volatilidade, o resultado foi negativo. Seguimos comprados na volatilidade de commodities agrícolas. O nível do seguro está no patamar mais baixo para essa época da colheita da última década.

Rentabilidade

2020

2019 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ANO
FUNDO 0.34% -0.24% -0.56% 0.41% 0.26% 0.27% 0.49%
CDI 0.38% 0.29% 0.34% 0.28% 0.24% 0.22% 1.76%
% SOBRE CDI 91.24% 142.88% 110.73% 126.06% 27.73%

2019

2019 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ANO
FUNDO 1.01% 0.20% 0.20% 0.34% 0.63% 0.80% 0.63% 0.45% 0.37% 0.80% -0.04% 0.88% 6.45%
CDI 0.54% 0.49% 0.47% 0.52% 0.54% 0.47% 0.57% 0.50% 0.47% 0.48% 0.38% 0.38% 5.97%
% SOBRE CDI 186.10% 41.53% 42.32% 65.47% 115.20% 171.48% 111.58% 88.70% 79.73% 166.70% 232.42% 108.08%

2018

2018 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ANO
FUNDO 0.80% 0.62% 0.76% 0.69% -0.10% 0.56% 0.60% 0.24% 0.36% 0.98% 0.30% 0.61% 6.60%
CDI 0.58% 0.47% 0.53% 0.52% 0.52% 0.52% 0.54% 0.57% 0.47% 0.54% 0.49% 0.49% 6.42%
% SOBRE CDI 137.96% 134.05% 142.65% 132.97% 108.88% 110.78% 42.32% 76.25% 180.67% 59.86% 122.98% 102.81%

2017

2017 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ANO
FUNDO 1.11% 1.02% 0.85% 0.87% 0.50% 0.71% 1.36% 0.78% 0.89% 0.48% 0.35% 0.44% 9.76%
CDI 1.09% 0.87% 1.05% 0.79% 0.93% 0.81% 0.80% 0.80% 0.64% 0.65% 0.57% 0.54% 9.95%
% SOBRE CDI 102.21% 117.21% 80.67% 110.13% 54.48% 88.00% 169.64% 97.40% 138.43% 73.61% 62.12% 81.71% 98.10%

Patrimônio
Líquido

junho 2020

R$ 4.194.405.443

MÉDIO (12 meses)

R$ 4.194.405.443

Atribuição de Performance

Rentabilidade acima do CDI por estratégia.

Objetivo do Fundo

Superar o CDI
em linha com uma
volatilidade média
em torno de
1,5% a.a
ao longo do ciclo
de investimento

É bom para

Investidores de todos os perfis de risco e que tenham como objetivo alcançar retornos acima do CDI no médio prazo

Contém

Investimentos em diferentes mercados: juros, bolsa, volatilidade, moedas, inflação.

Estilo de Atuação

Gestão dinâmica com abordagens macro e micro econômicas.

Atuação

Mercados locais e internacionais, com foco em Brasil.

Início do
Fundo

28 fev. 14

Taxa de
administração

1.5% a.a. (administração)

Processos

Bem definidos, com clara atribuição de responsabilidades.

Filosofia
de risco

Maiores retornos controlando riscos extremos.

Como funciona

Processos diligentes e retroaprendizagem constante.

1. Especialistas

Especialistas em cada mecado sugerem ao comitê operações com potencial de retorno assimétrico;

2. Comitê

Análise e questionamento entre especialistas e o comitê para a definição da alocação: disciplina, assertividade e atribuição de responsabilidades na escolha dos melhores ativos.

3. Portifólio

Definição da carteira de investimentos.

4. Execução

Execução baseada em preços e critérios técnicos.

5. Retro-Aprendizagem

Revisão do cenário;
Atribuição de performance.

Equipe

Equipe multidisciplinar, sócia do cliente no fundo.

Marco Aurelio Freire

Sócio e gestor dos fundos líquidos

Denis Ferrari

Renda Fixa Local

Guilherme Mazzilli

Pares de Ações

Guilherme Paris

Volatilidade

Leandro Teixeira

Arbitragem de Juros

Luiz Felipe Mescolin

Dólar/Cupom

Marcus Zanetti

Ações Absoluto

Ruy Alves

Ações Globais
Palavra do Gestor
junho 2020

O resultado foi positivo em juros e inflação. No Brasil tivemos ganhos nas posições aplicadas em juros nominais intermediários. Continuamos acreditando que a Selic permanecerá baixa por mais tempo do que o mercado coloca nos preços dos ativos. Além disso, no mês compramos inflações longas como proteção para a carteira. No México, o resultado também foi positivo com as posições em juros curtos e intermediários. Devemos ver maiores reduções dos juros no país devido à recessão profunda, inflação sob controle (pressionada apenas por alimentos) e estímulo fiscal tímido.

Em ações, o resultado foi positivo. No mercado internacional, nossa performance foi positiva no mês principalmente em virtude das nossas posições no setor industrial e nos bancos americanos. Junho apresentou uma continuidade da recuperação das ações globais, impulsionada pelo processo de reabertura econômica e forte estímulo monetário e fiscal. O mercado Europeu e Asiático apresentaram melhor performance que a bolsa dos Estados Unidos, parte como reflexo da recuperação de áreas mais cíclicas da economia, onde tecnologia, consumo e o setor industrial apresentaram melhor resultado durante o mês. No Brasil, o resultado também foi positivo. Seguimos comprados principalmente em empresas de commodities, varejo online, saúde e serviços financeiros. Além disso, estamos com 35 pares na carteira. Os ganhos nos pares vieram de posições intrasetoriais de consumo e em alocações em empresas de construção civil com foco na população de renda mais baixa.

Nossa performance foi positiva em commodities no mês em virtude de nossas exposições ao ouro, petróleo e cobre. No caso do ouro a performance pode ser atribuída à contínua queda dos juros reais americanos, crescimento dos balanços dos bancos centrais globais e consequente fluxo de investimentos no metal. Petróleo tem se beneficiado do acordo de produção da OPEP e da queda da produção nos Estados Unidos, juntamente com a recuperação da demanda pela reabertura das economias. Cobre tem o benefício da recuperação de demanda na China com problemas globais de fornecimento do metal.

Em moedas, o resultado foi positivo. Temos aumentado a venda do dólar contra o Yen, Euro e Dólar Australiano. EUA tem controlado o vírus pior do que outros países do G10. Isso pode levar a maiores dificuldades para normalizar o setor de serviços e, consequentemente, maior necessidade de estímulos monetários e fiscais. Além disso, a eleição americana tem probabilidade relevante de um candidato democrata com uma plataforma de maior regulação e tributação nas empresas.

O resultado foi positivo em fatores no mês. O fundo se beneficiou do fechamento de spread de sua carteira de debêntures. Os spreads dos ativos de crédito seguem atraindo compradores devido ao fato do carrego estar atrativo para emissores de baixo risco. Além disso, a aprovação das regras relativas à compra de ativos no mercado secundário pelo Banco Central dá suporte ao mercado. Fizemos uma alocação em mercado primário e enxergamos oportunidades de alocações em novas emissões ao longo dos próximos meses. O Fundo está atualmente 35,7% alocado em crédito com um carrego de DI + 2,97% a.a. e duration média de 3,2 anos.

Por fim, na estratégia de volatilidade, o resultado foi negativo. Seguimos comprados na volatilidade de commodities agrícolas. O nível do seguro está no patamar mais baixo para essa época da colheita da última década.

Rentabilidade

2020 FUNDO CDI % SOBRE CDI
JAN. 0.34% 0.38% 91.24%
FEV. -0.24% 0.29%
MAR. -0.56% 0.34%
ABR. 0.41% 0.28% 142.88%
MAI. 0.26% 0.24% 110.73%
JUN. 0.27% 0.22% 126.06%
JUL.
AGO.
SET.
OUT.
NOV.
DEZ.
2019 FUNDO CDI % SOBRE CDI
JAN. 1.01% 0.54% 186.10%
FEV. 0.20% 0.49% 41.53%
MAR. 0.20% 0.47% 42.32%
ABR. 0.34% 0.52% 65.47%
MAI. 0.63% 0.54% 115.20%
JUN. 0.80% 0.47% 171.48%
JUL. 0.63% 0.57% 111.58%
AGO. 0.45% 0.50% 88.70%
SET. 0.37% 0.47% 79.73%
OUT. 0.80% 0.48% 166.70%
NOV. -0.04% 0.38%
DEZ. 0.88% 0.38% 232.42%
2018 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. 0.80% 0.58% 137.96%
FEV. 0.62% 0.47% 134.05%
MAR. 0.76% 0.53% 142.65%
ABR. 0.69% 0.52% 132.97%
MAI. -0.10% 0.52%
JUN. 0.56% 0.52% 108.88%
JUL. 0.60% 0.54% 110.78%
AGO. 0.24% 0.57% 42.32%
SET. 0.36% 0.47% 76.25%
OUT. 0.98% 0.54% 180.67%
NOV. 0.30% 0.49% 59.86%
DEZ. 0.61% 0.49% 122.98%
2017 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. 1.11% 1.09% 102.21%
FEV. 1.02% 0.87% 117.21%
MAR. 0.85% 1.05% 80.67%
ABR. 0.87% 0.79% 110.13%
MAI. 0.50% 0.93% 54.48%
JUN. 0.71% 0.81% 88.00%
JUL. 1.36% 0.80% 169.64%
AGO. 0.78% 0.80% 97.40%
SET. 0.89% 0.64% 138.43%
OUT. 0.48% 0.65% 73.61%
NOV. 0.35% 0.57% 62.12%
DEZ. 0.44% 0.54% 81.71%

Patrimônio Líquido

junho 2020

R$ 4.194.405.443

MÉDIO (12 meses)

R$ 4.194.405.443

Atribuição de Performance

Rentabilidade acima do CDI por estratégia.

Objetivo do Fundo

Superar o CDI
em linha com uma
volatilidade média
em torno de
1,5% a.a
ao longo do ciclo
de investimento

É bom para

Investidores de todos os perfis de risco e que tenham como objetivo alcançar retornos acima do CDI no médio prazo

Contém

Investimentos em diferentes mercados: juros, bolsa, volatilidade, moedas, inflação.

Estilo de Atuação

Gestão dinâmica com abordagens macro e micro econômicas.

Atuação

Mercados locais e internacionais, com foco em Brasil.

Início do Fundo

28 fev. 14

Taxa de administração

1.5% a.a. (administração)

Processos

Bem definidos, com clara atribuição de responsabilidades.

Filosofia de risco

Maiores retornos controlando riscos extremos.

Como funciona

Processos diligentes e retroaprendizagem constante.

1. Especialistas

Especialistas em cada mecado sugerem ao comitê operações com potencial de retorno assimétrico;

2. Comitê

Análise e questionamento entre especialistas e o comitê para a definição da alocação: disciplina, assertividade e atribuição de responsabilidades na escolha dos melhores ativos.

3. Portifólio

Definição da carteira de investimentos.

4. Execução

Execução baseada em preços e critérios técnicos.

5. Retro-Aprendizagem

Revisão do cenário;
Atribuição de performance.

Equipe

Equipe multidisciplinar, sócia do cliente no fundo.

  • Denis Ferrari

    Renda Fixa Local

  • Guilherme Mazzilli

    Pares de Ações

  • Guilherme Paris

    Volatilidade

  • Leandro Teixeira

    Arbitragem de Juros

  • Luiz Felipe Mescolin

    Dólar/Cupom

  • Marco Aurelio Freire

    Sócio e gestor dos fundos líquidos

  • Marcus Zanetti

    Ações Absoluto

  • Ruy Alves

    Ações Globais