Prev Ações XP

Fundo Previdenciário de Ações Long Only** com alocações dinâmicas, buscando a diversidade setorial no mercado de ações, com o objetivo de superar o Ibovespa.

Palavra
do Gestor

junho 2020

O mês de junho começou mais forte do que se esperava, talvez ainda como resquício da animação dos investidores em maio por conta de boas notícias, como a reabertura econômica de diversos estados brasileiros e o apaziguamento político após intensos ataques entre os poderes. Nossa previsão de que junho seria um mês mais brando, movido por uma realização técnica com os agentes percebendo a euforia que causaram em cima de dados ainda não maturados da evolução da Covid-19, aqui no Brasil e lá nos Estados Unidos, só parece ter se realizado a partir da segunda semana do mês. O avanço do vírus se intensificou em diversas regiões importantes para a economia norte-americana e muitos governadores retrocederam em suas políticas de reabertura. Aqui no Brasil não foi diferente, especialmente nas regiões sul e centro-oeste. O Ibovespa, ainda assim, fechou em alta de 8.8%, mas com um nível de volume transacionado bem mais baixo que os meses eufóricos que antecederam junho, o que pode indicar um ainda elevado grau de incerteza dos agentes. Boas sinalizações animaram os investidores de fato, como a volta das pautas econômicas estruturantes no parlamento brasileiro com a aprovação do marco do saneamento, abrindo espaço para que os agentes voltem a discutir outras questões setoriais, tal como as definições do mercado de gás e o reequilíbrio financeiro de concessões rodoviárias. Soma-se a tudo isso a ainda elevada quantidade de dinheiro no sistema e a notícia de que os Estados Unidos poderiam injetar ainda mais um US$ 1 trilhão. Com toda essa liquidez nos mercados e os juros em níveis tão baixos, vem à tona uma outra sigla, além do FOMO (que comentamos na carta passada), que anda pipocando nos relatórios do mercado financeiro: a TINA (sigla em inglês para a expressão “There Is No Alternative”, que traduzido reflete o fato de que os investidores não teriam outra alternativa para remunerar o capital que não em ativos de risco mais elevado, como as ações de empresas). Se os fundamentos parecem não dar espaço para a bolsa seguir subindo, é o fluxo, através do excesso de liquidez, que surpreende a todos. No Brasil, o maior exemplo disso talvez seja a presença da pessoa física na bolsa, que saltou de menos de 10% em 2016 para mais de 30%, pontualmente, em junho passado.

Para julho, não seríamos incoerentes se apenas repetíssemos os trechos da carta do mês passado a respeito da composição da carteira, isso porque a cabeça segue a mesma: estamos cautelosamente otimistas. A única diferença talvez seja uma leve adição de risco ao portfólio por conta do aspecto técnico que o mês de julho traz. Historicamente, esse é um mês forte nas bolsas mundo afora. É um mês que gestores se permitem correr riscos, uma vez que estaremos no ponto mais distante do próximo fechamento de semestre (e, portanto, aferimento de performance). Além disso, sabemos que estamos cada vez mais próximos de uma boa notícia advinda das farmacêuticas, entre seus mais de 160 experimentos em vacinas e 250 medicamentos. Entretanto, 2020 é um ano atípico – e já seria mesmo sem os efeitos da Covid-19 –, pois assistiremos passivamente às eleições norte-americanas nesse segundo semestre, não sem antes trocas de farpas (e tweets) entre Trump e seu antagonista asiático. Em paralelo, é bom lembrar que não estamos livres dos efeitos de uma segunda onda do vírus ou ainda uma extensão da primeira onda em estados americanos, o que pode se tornar uma arma política em tempos de votação. A adição de risco, como comentado acima, se dá muito por uma alocação setorial de cada vez mais beta, mas mantendo elevada diligência no stock picking. Como exemplo, reduzimos bem nossa exposição ao consumo básico, setor esse que nos ajudou bem a atravessar os piores momentos da crise, e aumentos em consumo discricionário, bens de capital e em companhias de commodities de mais beta. À medida que sentirmos mais conforto na bolsa brasileira, ao longo do mês ou do próximo, soltaremos as proteções que fizemos para contrabalancear o beta mais alto.

Rentabilidade

2020

2020 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ANO
FUNDO -0.60% -9.05% -29.83% 12.17% 10.93% 10.01% -13.17%
IBOV -1.63% -8.43% -29.90% 10.25% 8.57% 8.76% -17.80%
+/-IBOV 1.03% -0.62% 0.08% 1.92% 2.36% 1.25% 4.63%

2019

2019 JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ ANO
FUNDO -0.20% 7.57% 7.35%
IBOV 0.03% 6.85% 6.89%
+/-IBOV -0.24% 0.72% 0.47%

Atribuição de Performance

Rentabilidade acima do CDI por estratégia.

Objetivo do Fundo

Superar o Ibovespa com um
tracking error*
em torno de
6% a.a
ao longo do ciclo
de investimento

Patrimônio
Líquido

junho 2020

R$ 2.148.639

MÉDIO (desde
o início)

R$ 1.235.650

É bom para

Para investidores qualificados que buscam retornos superiores ao Ibovespa.

Contém

Investimentos em ações de empresas da bolsa brasileira.

Estilo de Atuação

Combinação de uma análise fundamentalista do cenário econômico (análise macro) com uma análise estrutural (vantagens competitivas) e de momento de curto prazo das empresas (análise micro).

*Tracking error é uma medida de risco que mede quão distante o desempenho de um fundo ou portfólio está do seu benchmark. No caso, o Ibovespa.
**Fundo Long Only é aquele que posiciona-se somente comprado. Não tem posições vendidas, ou que se beneficiariam de uma eventual queda de preços das ações.

Início do
Fundo

01 nov. 19

Taxas

2% a.a. (administração)

Processos

Bem definidos, com clara atribuição de responsabilidades.

Filosofia
de risco

Maiores retornos controlando riscos extremos.

Como funciona

Processos diligentes e retroaprendizagem constante.

1. Prospecção

Gestor acompanha ativamente o mercado identificando as melhores oportunidades.

2. Avaliação

É feito um redesenho do Ibovespa em setores, sob um olhar de risco top down (macro) e bottom up (micro).

3. Aquisição

Uma vez que a relação risco e retorno do investimento atenda às exigências, o gestor irá adquirir o ativo.

4. Controle

O monitoramento de todos os ativos do fundo é realizado de forma ativa.

Equipe

Equipe multidisciplinar, sócia do cliente no fundo.

Rafael Oliveira

Ações Long Only

Guilherme Mazzilli

Pares de Ações

Marco Aurelio Freire

Sócio e gestor dos fundos líquidos

Marcus Zanetti

Ações Absoluto
Palavra do Gestor

Rentabilidade

2019 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. 0.94% 0.54% 172.29%
FEV. 0.94% 0.54% 172.29%
MAR. 0.94% 0.54% 172.29%
ABR. 0.94% 0.54% 172.29%
MAI. 0.94% 0.54% 172.29%
JUN. 0.94% 0.54% 172.29%
JUL. 0.94% 0.54% 172.29%
AGO. 0.94% 0.54% 172.29%
SET. 0.94% 0.54% 172.29%
OUT. 0.94% 0.54% 172.29%
NOV. 0.94% 0.54% 172.29%
DEZ. 0.94% 0.54% 172.29%
2018 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. 0.78% 0.58% 133.86%
FEV. 0.58% 0.47% 124.03%
MAR. 0.76% 0.53% 142.34%
ABR. 0.70% 0.52% 136.20%
MAI. 0.07% 0.52% 14.20%
JUN. 0.51% 0.52% 99.46%
JUL. 0.67% 0.54% 123.20%
AGO. 0.16% 0.57% 28.94%
SET. 0.33% 0.47% 69.59%
OUT. 1.01% 0.54% 185.19%
NOV. 0.35% 0.49% 71.19%
DEZ. 0.63% 0.49% 127.04%
2017 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. 1.19% 1.09% 109.79%
FEV. 1.16% 0.87% 134.32%
MAR. 0.92% 1.05% 87.71%
ABR. 0.90% 0.79% 114.19%
MAI. 0.41% 0.93% 43.98%
JUN. 0.78% 0.81% 95.74%
JUL. 1.50% 0.80% 187.11%
AGO. 0.84% 0.80% 104.54%
SET. 0.96% 0.64% 149.10%
OUT. 0.49% 0.65% 75.09%
NOV. 0.38% 0.57% 66.40%
DEZ. 0.48% 0.54% 88.56%
2016 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. 1.16% 1.05% 110.41%
FEV. 1.24% 1.00% 123.59%
MAR. 1.65% 1.16% 142.10%
ABR. 2.42% 1.05% 229.33%
MAI. 0.87% 1.11% 78.43%
JUN. 1.28% 1.16% 110.29%
JUL. 1.73% 1.11% 156.10%
AGO. 1.02% 1.21% 83.96%
SET. 1.22% 1.11% 110.51%
OUT. 0.96% 1.05% 91.32%
NOV. 0.98% 1.04% 94.24%
DEZ. 1.33% 1.12% 118.88%
2015 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. 1.37% 0.93% 147.96%
FEV. 0.87% 0.82% 105.70%
MAR. 0.63% 1.03% 61.18%
ABR. 0.63% 0.95% 66.61%
MAI. 1.42% 0.98% 144.01%
JUN. 0.49% 1.06% 46.42%
JUL. 1.80% 1.18% 153.17%
AGO. 0.09% 1.11% 8.34%
SET. 0.83% 1.11% 74.72%
OUT. 0.73% 1.11% 65.52%
NOV. 0.82% 1.06% 77.84%
DEZ. 0.36% 1.16% 31.06%
2014 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. -0.43% 0.84% 0.00%
FEV. 1.64% 0.78% 210.37%
MAR. 0.63% 0.76% 83.10%
ABR. -0.07% 0.81% 0.00%
MAI. 0.37% 0.86% 43.37%
JUN. 0.77% 0.82% 93.75%
JUL. 1.07% 0.94% 114.08%
AGO. 1.04% 0.86% 121.19%
SET. 1.28% 0.90% 141.91%
OUT. 0.06% 0.94% 5.95%
NOV. 0.11% 0.84% 13.28%
DEZ. 0.69% 0.95% 72.00%
2013 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. 1.69% 0.59% 287.81%
FEV. 0.22% 0.48% 44.73%
MAR. 0.45% 0.54% 83.62%
ABR. 0.56% 0.60% 93.08%
MAI. 0.64% 0.58% 109.90%
JUN. -0.01% 0.59% 0.00%
JUL. 1.50% 0.71% 211.92%
AGO. 0.63% 0.69% 91.24%
SET. 0.37% 0.70% 52.33%
OUT. 0.69% 0.80% 86.40%
NOV. 0.96% 0.71% 135.87%
DEZ. 1.32% 0.78% 168.89%
2012 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. 1.16% 0.89% 130.31%
FEV. 1.33% 0.74% 179.95%
MAR. 1.62% 0.81% 199.31%
ABR. 0.13% 0.70% 18.41%
MAI. -0.20% 0.73% 0.00%
JUN. -0.06% 0.64% 0.00%
JUL. 1.37% 0.68% 202.22%
AGO. 0.70% 0.69% 101.86%
SET. 2.22% 0.54% 412.81%
OUT. 0.27% 0.61% 43.76%
NOV. 0.72% 0.54% 132.00%
DEZ. 1.80% 0.53% 337.25%
2011 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. 0.09% 0.86% 10.06%
FEV. 0.87% 0.84% 103.33%
MAR. 1.26% 0.92% 137.52%
ABR. 0.68% 0.84% 80.68%
MAI. 0.40% 0.99% 41.03%
JUN. 0.54% 0.95% 56.73%
JUL. -0.45% 0.97% 0.00%
AGO. 1.06% 1.07% 98.93%
SET. 0.44% 0.94% 46.90%
OUT. 1.22% 0.88% 137.87%
NOV. 0.72% 0.86% 83.91%
DEZ. 1.30% 0.91% 143.33%
2010 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. 0.24% 0.66% 35.81%
FEV. 0.91% 0.59% 153.95%
MAR. 1.08% 0.76% 142.52%
ABR. 0.76% 0.66% 115.43%
MAI. 0.38% 0.75% 50.74%
JUN. 0.38% 0.79% 48.22%
JUL. 0.70% 0.86% 81.28%
AGO. -0.11% 0.89%
SET. 1.75% 0.84% 207.70%
OUT. 0.97% 0.81% 120.14%
NOV. 0.73% 0.81% 90.68%
DEZ. 1.53% 0.93% 165.40%
2009 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. 2.62% 1.05% 250.54%
FEV. 0.84% 0.85% 98.68%
MAR. 1.99% 0.97% 204.49%
ABR. 3.13% 0.84% 373.34%
MAI. 2.63% 0.77% 342.38%
JUN. 1.24% 0.76% 164.42%
JUL. 1.57% 0.79% 199.71%
AGO. 0.62% 0.69% 90.18%
SET. 1.08% 0.69% 155.46%
OUT. 0.62% 0.69% 89.08%
NOV. 0.79% 0.66% 119.27%
DEZ. 0.98% 0.72% 134.72%
2008 FUNDO CDI % sobre CDI
JAN. 0.60% 0.92% 64.54%
FEV. 1.87% 0.80% 235.36%
MAR. -1.65% 0.84%
ABR. 2.02% 0.009 225.24%
MAI. 0.88% 0.87% 100.63%
JUN. -0.94% 0.95%
JUL. 2.57% 1.06% 242.55%
AGO. 1.86% 1.01% 183.89%
SET. -2.46% 1.10%
OUT. -1.16% 1.17%
NOV. 3.99% 1.00% 400.37%
DEZ. 6.30% 1.11% 567.90%

Patrimônio Líquido

junho 2020

R$ 1.123.941.727

MÉDIO (12 meses)

R$ 1.569.956.065

Atribuição de Performance

Rentabilidade acima do CDI por estratégia.

Objetivo do Fundo

Superar o Ibovespa com um
tracking error*
em torno de
6% a.a
ao longo do ciclo
de investimento

É bom para

Para investidores qualificados que buscam retornos superiores ao Ibovespa.

Contém

Investimentos em ações de empresas da bolsa brasileira.

Estilo de Atuação

Combinação de uma análise fundamentalista do cenário econômico (análise macro) com uma análise estrutural (vantagens competitivas) e de momento de curto prazo das empresas (análise micro).

Início do Fundo

01 nov. 19

Taxa de administração

2% a.a. (administração)

Processos

Bem definidos, com clara atribuição de responsabilidades.

Filosofia de risco

Maiores retornos controlando riscos externos.

Como funciona

Processos diligentes e retroaprendizagem constante.

1. Prospecção

Gestor acompanha ativamente o mercado identificando as melhores oportunidades.

2. Avaliação

É feito um redesenho do Ibovespa em setores, sob um olhar de risco top down (macro) e bottom up (micro).

3. Aquisição

Uma vez que a relação risco e retorno do investimento atenda às exigências, o gestor irá adquirir o ativo.

4. Controle

O monitoramento de todos os ativos do fundo é realizado de forma ativa.

Equipe

Especializada e multidisciplinar, sócia do cliente do fundo.

  • Guilherme Mazzilli

    Pares de Ações

  • Marco Aurelio Freire

    Sócio e gestor dos fundos líquidos

  • Marcus Zanetti

    Ações Absoluto

  • Rafael Oliveira

    Ações Long Only