Fundo de Fundos Imobiliários

Fundo com objetivo de comprar cotas de fundos de investimento imobiliário do mercado.

Palavra
do Gestor

Junho/2020

Para mais informações, acesse a Carta do Gestor.

No mês de junho, o Ibovespa teve alta de 8,76%, atingindo 95.056 pontos. As evidências de controle da pandemia em países desenvolvidos têm permitido ampliar a reabertura das atividades econômicas, com exceção a certas regiões dos Estados Unidos que ainda apresentam um crescimento no número de casos. Passados os piores meses da pandemia, a atividade econômica nestes países mostra sinais de que o impacto na economia foi menor do que o esperado em maio, muito em função dos estímulos fiscais iniciados a partir de março. No Brasil, a dinâmica da evolução da doença tem se mostrado diferente entre os estados, já com a retomada gradual das atividades econômicas nas principais regiões do País. O Boletim Focus indica uma queda do PIB brasileiro em 6,54% para 2020, e um crescimento de 3,50% em 2021, permanência de juros baixos por um longo período, com 2% no final deste ano e 3% em 2021 e inflação também baixa, com expectativa de IPCA de 1,63% para 2020.

Em junho, o IFIX teve valorização de 5,59%, acompanhando a retomada ainda que gradual das atividades comerciais. A partir de uma análise de variação de preços dos segmentos de FIIs, nota-se que os investidores buscam atualmente FIIs com maior resiliência de pagamento de rendimentos, com destaque para os FIIs que possuem ativos com contratos atípicos adimplentes. Os segmentos de Educação, Agências e Logística tiveram as maiores valorizações do mês, respectivamente 11,03%, 9,69% e 9,10%, tendo em vista a maior quantidade de contratos atípicos nestas classes. Os segmentos de Escritórios Corporativos e Shoppings Centers tiveram, neste mês, valorização de 7,33% e 5,63%, em função da reabertura gradual dos centros comerciais em diversas cidades do Brasil. A indústria de fundos imobiliários, apesar da instabilidade provocada pelo Covid-19, já se encontra em processo de retomada com novas emissões apresentando alta demanda e inclusive rateio entre os investidores. O cenário de juros baixos e perspectiva de manutenção deste patamar no médio prazo tem atraído investidores para as ofertas.

Segundo o Boletim do Mercado Imobiliário da B3 de Maio/20, há 848 mil investidores no mercado, o que representa um avanço de 3,66% em relação ao mês anterior e uma média de crescimento na ordem de 7,31% ao mês nos últimos 7 meses.

Por fim, gostaríamos de destacar que se inicia no dia 1º de julho a 3ª Emissão de Cotas do fundo com os esforços de colocação sendo feitos exclusivamente pelo Banco Itaú. Continuamos confiantes na tese de investimento baseada na qualidade do portfólio investido, buscando selecionar ativos que tenham qualidade superior aos pares de mercado e visando uma diversificação entre diferentes segmentos (shoppings, logística, escritórios e CRI).

No fim de junho, 95% dos ativos do Fundo estavam alocados em fundos imobiliários.

O rendimento declarado do Fundo, a ser distribuído em 14/07 foi de R$ 0,91/cota, equivalente a um dividend yield6 de 0,83% (451% do CDI Líquido7) em relação à cota patrimonial de fechamento do mês. Destacamos que neste mês, os rendimentos distribuídos pelo Fundo, foram positivamente impactados pela estratégia da equipe de Gestão de reciclagem de portfolio que gerou um ganho de capital. Tal estratégia consistiu na venda de determinados ativos do portfólio com posterior realocação dos recursos em fundos com melhor relação risco retorno.

Rentabilidade

Histórico de rentabilidade do fundo considerando a distribuição de rendimentos e tomando como base os valores praticados nas emissões de cotas.

. .
. .
. . . . . .
. . 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%
. . 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%
. . 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%
. . 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%
. . 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%
. . 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%
. . 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%
. . 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%
. . 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%
. . 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%
. . 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%
. . 0,00% 0,00% 0,00% 0,00%

1. Considerando uma alíquota de imposto de renda de 15%.

Objetivo do Fundo

Pagar rendimentos mensais provenientes das alocações em uma carteira diversificada de fundos imobiliários bem como gerar ganhos de capital.

É bom para

Quem deseja realizar investimentos em uma carteira diversificada de fundos de investimentos imobiliário com apoio de uma equipe profissional que atua com disciplina e fará o devido monitoramento.

Rendimentos mensais

Pagos mensalmente, no 10º dia útil, liquido dos custos do Fundo e isentos do imposto de renda.

Início do
Fundo

03 set. 18

Taxa de
administração

0,92% a.a.

Taxa de
performance

20% do que exceder a variação do IFIX

Aplicação Inicial

Valor referente a uma cota, de acordo com o preço que está sendo negociado na Bolsa.

Monitoramento

Acompanhamento ativo para garantir que a carteira de fundos permaneça saudável e a rentabilidade aderente ao benchmark.

Acesso

A quem deseja investir em cotas de fundos de investimento imobiliário com apoio de uma equipe de gestão profissional.

Como Funciona

Com processos diligentes que apoiam a criteriosa seleção dos ativos:

Composição da Carteira

CRI Corporativos, ativos que tem como contraparte uma grande empresa:

Equipe

Equipe multidisciplinar, sócia do cliente no fundo.

Carlos Martins

Sócio e gestor responsável pelos fundos imobiliários de equity

Alejandro Riviere Padilha

Fundo de Fundos Imobiliários

Alessandro Estevam

Estrategista/Aquisições

Ivan Simão

Relações com Investidores

Lucas Kranjc Simon

Fundo de Fundos Imobiliário

Marcel Chalem

Controller

Marcela Penido

Financeiro
Palavra do Gestor
Junho/2020

No mês de junho, o Ibovespa teve alta de 8,76%, atingindo 95.056 pontos. As evidências de controle da pandemia em países desenvolvidos têm permitido ampliar a reabertura das atividades econômicas, com exceção a certas regiões dos Estados Unidos que ainda apresentam um crescimento no número de casos. Passados os piores meses da pandemia, a atividade econômica nestes países mostra sinais de que o impacto na economia foi menor do que o esperado em maio, muito em função dos estímulos fiscais iniciados a partir de março. No Brasil, a dinâmica da evolução da doença tem se mostrado diferente entre os estados, já com a retomada gradual das atividades econômicas nas principais regiões do País. O Boletim Focus indica uma queda do PIB brasileiro em 6,54% para 2020, e um crescimento de 3,50% em 2021, permanência de juros baixos por um longo período, com 2% no final deste ano e 3% em 2021 e inflação também baixa, com expectativa de IPCA de 1,63% para 2020.

Em junho, o IFIX teve valorização de 5,59%, acompanhando a retomada ainda que gradual das atividades comerciais. A partir de uma análise de variação de preços dos segmentos de FIIs, nota-se que os investidores buscam atualmente FIIs com maior resiliência de pagamento de rendimentos, com destaque para os FIIs que possuem ativos com contratos atípicos adimplentes. Os segmentos de Educação, Agências e Logística tiveram as maiores valorizações do mês, respectivamente 11,03%, 9,69% e 9,10%, tendo em vista a maior quantidade de contratos atípicos nestas classes. Os segmentos de Escritórios Corporativos e Shoppings Centers tiveram, neste mês, valorização de 7,33% e 5,63%, em função da reabertura gradual dos centros comerciais em diversas cidades do Brasil. A indústria de fundos imobiliários, apesar da instabilidade provocada pelo Covid-19, já se encontra em processo de retomada com novas emissões apresentando alta demanda e inclusive rateio entre os investidores. O cenário de juros baixos e perspectiva de manutenção deste patamar no médio prazo tem atraído investidores para as ofertas.

Segundo o Boletim do Mercado Imobiliário da B3 de Maio/20, há 848 mil investidores no mercado, o que representa um avanço de 3,66% em relação ao mês anterior e uma média de crescimento na ordem de 7,31% ao mês nos últimos 7 meses.

Por fim, gostaríamos de destacar que se inicia no dia 1º de julho a 3ª Emissão de Cotas do fundo com os esforços de colocação sendo feitos exclusivamente pelo Banco Itaú. Continuamos confiantes na tese de investimento baseada na qualidade do portfólio investido, buscando selecionar ativos que tenham qualidade superior aos pares de mercado e visando uma diversificação entre diferentes segmentos (shoppings, logística, escritórios e CRI).

No fim de junho, 95% dos ativos do Fundo estavam alocados em fundos imobiliários.

O rendimento declarado do Fundo, a ser distribuído em 14/07 foi de R$ 0,91/cota, equivalente a um dividend yield6 de 0,83% (451% do CDI Líquido7) em relação à cota patrimonial de fechamento do mês. Destacamos que neste mês, os rendimentos distribuídos pelo Fundo, foram positivamente impactados pela estratégia da equipe de Gestão de reciclagem de portfolio que gerou um ganho de capital. Tal estratégia consistiu na venda de determinados ativos do portfólio com posterior realocação dos recursos em fundos com melhor relação risco retorno.

Rentabilidade

Histórico de rendimentos mensais em comparação com o benchmark.

 1ª Emissão 4ª, 5ª, 6ª, 7ª e 8ª Emissões
 R$ 100,00 R$ 104,30
Rendimento por cota (R$) Rent. Fundo % do CDI Líquido % do CDI Bruto (Gross-up)* Rent. Fundo % do CDI Líquido % do CDI Bruto (Gross-up)1
jun/20 0,30 0,30% 139,38% 163,98% 0,29% 133,64% 157,22%
mai/20 0,30 0,30% 125,68% 147,86% 0,29% 120,50% 141,77%
abr/20 0,35 0,35% 122,84% 144,52% 0,34% 117,77% 138,56%
mar/20 0,45 0,45% 132,24% 155,58% 0,43% 126,79% 149,16%
fev/20 0,41 0,41% 139,59% 164,22% 0,39% 133,83% 157,45%
jan/20 0,50 0,50% 132,76% 156,19% 0,48% 127,29% 149,75%
dez/19 0,51 0,51% 136,11% 160,13% 0,49% 130,50% 153,53%
nov/19 0,44 0,44% 115,67% 136,09% 0,42% 110,90% 130,48%
out/19 0,52 0,52% 108,50% 127,65% 0,50% 104,03% 122,38%
set/19 0,51 0,51% 109,53% 128,85% 0,49% 105,01% 123,54%
ago/19 0,57 0,57% 113,19% 133,16% 0,55% 108,52% 127,67%
jul/19 0,64 0,64% 112,72% 132,61% 0,61% 108,07% 127,14%

Objetivo do Fundo

Pagar rendimentos mensais provenientes das alocações em uma carteira diversificada de fundos imobiliários bem como gerar ganhos de capital.

É bom para

Quem deseja realizar investimentos em uma carteira diversificada de fundos de investimentos imobiliário com apoio de uma equipe profissional que atua com disciplina e fará o devido monitoramento.

Aplicação Inicial

Valor referente a uma cota, de acordo com o preço que está sendo negociado na Bolsa.

Monitoramento

Acompanhamento ativo para garantir que a carteira de fundos permaneça saudável e a rentabilidade aderente ao benchmark.

Rendimentos mensais

Pagos mensalmente, no 10º dia útil, liquido dos custos do Fundo e isentos do imposto de renda.

Acesso

A quem deseja investir em cotas de fundos de investimento imobiliário com apoio de uma equipe de gestão profissional.

Início do Fundo

03 set. 18

Taxa de performance

20% do que exceder a variação do IFIX

Taxa de administração

0,92% a.a.

Como funciona

Com processos diligentes que apoiam a criteriosa seleção dos ativos:

1. ANÁLISE DO MERCADO DE FII

Análise “Top Down”: Impactos Macro e Tendências de mercado.
Análise “Bottom Up”: Potencial de apreciação da cota e Previsão de receitas de aluguéis.

2. CONSTRUÇÃO DO PORTFÓLIO

Elegibilidade dos FIIs: Critério de liquidez e Filtro de risco.
Estabelecer momento de desinvestimento dos FIIs potenciais.

3. COMITÊ DE INVESTIMENTO

Avaliar premissas dos modelos, usando dados do Mercado;
Estabelecer critérios de compra/venda e peso máximo do ativo em carteira;
Garante aderência aos critérios de liquidez e concentração em ativos.

4. EXECUÇÃO E MONITORAMENTO

Monitoramento do mercado de FII:
Acompanhar preços de mercado em relação ao valor justo estabelecido nos modelos;
Atualização contínua de premissas dos modelos (vacância, preços, etc).

Equipe

Equipe multidisciplinar, sócia do cliente no fundo.

  • Alejandro Riviere Padilha

    Fundo de Fundos Imobiliários

  • Alessandro Estevam

    Estrategista/Aquisições

  • Carlos Martins

    Sócio e gestor responsável pelos fundos imobiliários de equity

  • Ivan Simão

    Relações com Investidores

  • Lucas Kranjc Simon

    Fundo de Fundos Imobiliário

  • Marcel Chalem

    Controller

  • Marcela Penido

    Financeiro

Composição da Carteira

CRI Corporativos, ativos que tem como contraparte uma grande empresa.