Voltar

Reflexões

O Gambito do Czar – Rússia dá um xeque na Europa. Mate em dois trimestres?

13 JUL 2022

Imagem O Gambito do Czar – Rússia dá um xeque na Europa. Mate em dois trimestres?

Receba insights da Kinea exclusivos diretamente no seu e-mail.
Assine nossa
newsletter.

Ao assinar a newsletter, você aceita receber comunicados da Kinea e concorda com nossa Política de Privacidade.

Dots Post

Boris Spassky, nascido na União Soviética, não era apenas um grande enxadrista, mas um dos protagonistas do Match do Século: a disputa do campeonato mundial de 1972 entre ele e Bob Fischer. As 21 partidas que acabaram por coroar o americano, representavam muito mais do que a soberania no jogo, mas carregavam o contexto bélico da Guerra Fria e posteriormente inspiraram incontáveis enredos e narrativas sobre o evento. Entre eles, a famosa série da Netflix: “O Gambito da Rainha”.

continua após a newsletter

Receba insights da Kinea exclusivos diretamente no seu e-mail.
Assine nossa newsletter.

Ao assinar a newsletter, você aceita receber comunicados da Kinea e concorda com nossa Política de Privacidade.

Para os aficionados do xadrez, o contexto geopolítico atual pode ser facilmente comparado ao match de 72, assim como à própria estratégia que dá o título a série: O Gambito da Rainha. A estratégia consiste em taticamente permitir que o oponente capture seu peão no início da partida. Se este for o caso, uma grande fragilidade é aberta no jogo do adversário.

Muito se falou nas sanções que os países do ocidente impuseram sobre a Rússia. Isto é, após o avanço russo na Ucrânia, houve uma coordenação massiva para que se afogasse o país em uma crise econômica, buscando parar de consumir produtos russos e restringir o acesso do país ao sistema bancário internacional. Isto, contudo, abriu uma fragilidade gigante e menos mencionada no tabuleiro do ocidente: o gás natural.

Apesar de não ser segredo que a commodity russa seja largamente utilizada no continente Europeu, líderes persistentemente diminuíram o problema. Asseguraram que havia alternativas ao insumo russo e que não seria do interesse do Kremlin interromper o fornecimento de gás. Contudo, assim como Spassky, a Rússia também parece ter a tendência para um jogo agressivo e ofensivo. A cada dia limita um pouco mais o acesso da União Europeia à commodity, que é essencial para o aquecimento domiciliar e na indústria química.

Peças no tabuleiro

Diante da abertura do conflito, os Estado Unidos e a União Europeia buscaram gradualmente impor sanções sobre o comércio dos bens russos. A Rússia viu uma grande desvalorização de todos os seus ativos financeiros, uma vez que havia a perspectiva da saída de capitais e o congelamento das reservas do país.

Neste sentido, uma das primeiras respostas do Kremlin foi o controle de capitais e a determinação de que o gás russo fosse comprado em rublos. Desta forma, a moeda do país ganhou estabilidade e estancou a desvalorização. E mais: com a guerra, a incerteza sobre a oferta de combustíveis fósseis fez com que o preço de commodities aumentasse significativamente, melhorando a conta-corrente do país. Isto, por sua vez, até gerou uma apreciação do Rublo.

Incapazes de parar a Rússia, a próxima jogada do ocidente foi de sancionar o petróleo advindo de lá. Neste caso, o movimento não veio sem sacrifícios, uma vez que o petróleo russo também é amplamente consumido na União Europeia. Contudo, a medida foi neutralizada: a Rússia buscou um alinhamento geopolítico com países asiáticos, garantindo o escoamento do petróleo deixado de lado pelos europeus.

Observa-se até uma certa hipocrisia: há evidências de que países europeus vêm consumindo petróleo de países asiáticos que, por sua vez, adquiriram este petróleo da própria Rússia.

Xeque: Termos de troca Europeus afundam e o déficit comercial se torna uma realidade

Com a estabilização das cadeias produtivas e a normalização do setor de serviços após os anos de COVID, o continente europeu estava, no início de 2022, prestes a vivenciar um bom período de crescimento. Com a guerra e com a decisão de impedir a entrada de bens energéticos russos, o custo da energia explodiu e as projeções de atividade foram declinando significativamente.

Essa queda vem de dois motivos: uma atividade mais fraca na China, que inibe exportação de bens manufaturados europeus, e ao orçamento mais apertado da economia, ao ter que despender mais recursos nas contas de energia e combustíveis. Ou seja, se por um lado cai o lucro operacional das empresas que, se não conseguirem repassar custos ao consumidor, são forçadas a pararem a produção. Por outro, há um aumento sem precedentes do custo de vida do europeu, que ao ter que despender significativamente mais em energia, acaba tendo que conter o seu consumo de outros bens daqui em diante.

Desta forma, com termos de troca chegando a níveis historicamente baixos, a deterioração persistente do câmbio vai se tornando cada vez mais inevitável.

Rússia

Mate em dois trimestres: Interrupção de gás para o velho continente sufoca crescimento

A União Europeia não parou de cometer deslizes no tabuleiro. Desde menções a limites de preços nos combustíveis, que são infactíveis, pois dependem do ofertante e da coordenação com outros compradores, até subsídios a preços, que apenas colocam mais pressão sobre a demanda de fontes primárias de energia. Não por acaso, o déficit em conta-corrente europeu só piorou. Em contrapartida, com a apreciação das commodities energéticas e com as restrições de importação, o déficit russo só melhorou.

Rússia

O último movimento europeu, contudo, que deve levar à derrocada da União Europeia veio da decisão unilateral de parar gradualmente o consumo de gás russo em dois terços até o fim do ano. Este foi, particularmente, um movimento destinado ao fracasso, pois deu o sinal claro para a Rússia de que se pretendia alcançar independência energética. Nessa disputa, portanto, seria completamente irracional manter a oferta de gás e esperar pacientemente o continente europeu fazer uma transição suave.

Rússia

Assim, veio o movimento russo de cortar gás para a Europa com objetivo claro: usar ao máximo o poder de barganha que a posição superavitária em energia concede. Qual a implicação? Um possível apagão de gás que, por sua vez, afeta a confiança, inibe crédito para empresas e deve afetar a atividade da indústria.

Rússia

Para PIB, a relação que estimamos é de que para a cada 1% de queda no consumo de energia temos de 0.6% de queda de atividade (outros estudos apontam quedas de até 1% para cada 1% de queda de consumo de energia). O que cálculos mostram é que as medidas de substituição de gás podem suprir três quartos dos fluxos vindos da Rússia.

Rússia

Se a Rússia continuar enviando a mesma quantidade de energia no inverno que envia agora, que é próximo a 33% do que enviava em 2019, a queda de atividade seria aproximadamente de 0.7% a 1.3% do PIB. Se a redução for total, o impacto pode chegar a algo entre 1.6% e 3.3% do PIB europeu.

O mate, por fim, vem no inverno, em dois trimestres, quando incapacidade de fazer reservas de gás e a alta necessidade de aquecimento colocam a economia europeia na encruzilhada: se as temperaturas forem rigorosas, os governos serão forçados parar a indústria para garantir o consumo domiciliar.

Assim como no xadrez, a derrota da União Europeia não vem do acaso. A atividade fraca é autoimposta por más decisões sequenciais, que foram tomadas por autoridades comprometidas com narrativas ingênuas. Além disso, tal comportamento parece estar no seio de cada administração do bloco, o que, portanto, ainda deve levar um longo período de crise no velho continente. Desta forma, seguimos vendidos em moedas europeias e aplicados em juros.

***

Estamos sempre à disposição de nossos clientes e parceiros.

Kinea Investimentos

Saiba onde investir nos fundos Kinea

Entre em contato e saiba como adquirir um de nossos fundos.

Receba insights exclusivos

Cadastre-se em nossa newsletter

E fique por dentro do mercado de fundos

Ao se cadastrar você concordar com nossa Política de Privacidade.

Este material foi elaborado pela Kinea (Kinea Investimentos Ltda e Kinea Private Equity Investimentos S.A.), empresa do Grupo Itaú Unibanco. A Kinea não comercializa e nem distribui cotas de fundos de investimentos. Leia o regulamento e demais documentos legais do fundo antes de investir. Os fundos são supervisionados e fiscalizados pela Comissão de Valores Mobiliários – CVM. Os fundos de condomínio aberto e não destinados a investidores qualificados possuem lâminas de informações essenciais. A descrição do tipo ANBIMA consta no formulário de informações complementares. Estes documentos podem ser consultados no site da CVM http://www.cvm.gov.br/ ou no site dos respectivos Administradores dos fundos. Não há garantia de tratamento tributário de longo prazo para os fundos que informam buscar este tratamento no regulamento. Os fundos da Kinea não são registrados nos Estados Unidos da América sob o Investment Company Act de 1940 ou sob o Securities Act de 1933. Não podem ser oferecidos ou vendidos nos Estados Unidos da América ou em qualquer um de seus territórios, possessões ou áreas sujeitas a sua jurisdição, ou a pessoas que sejam consideradas como U.S. Persons para fins da regulamentação de mercado de capitais norte-americana. Os Fundos de Investimento da Kinea podem apresentar um alto grau de volatilidade e risco. Alguns fundos informam no regulamento que utilizam estratégias com derivativos como parte de sua política de investimento, que da forma que são adotadas, podem resultar em perdas de patrimônio financeiro para seus cotistas superiores ao capital aplicado, obrigando o cotista a aportar recursos adicionais para cobertura do fundo. É recomendada uma avaliação de performance de fundos de investimento em análise de no mínimo 12 meses. A rentabilidade passada não garante a rentabilidade futura e fundos de investimento não são garantidos pela Instituição Administradora, ou por qualquer mecanismo de seguro, ou ainda pelo Fundo Garantidor de Créditos – FGC. Os Fundos de Investimento em Participações seguem a ICVM 578, portanto são condomínios fechados em que as cotas somente são resgatadas ao término do prazo de duração do fundo. Esta modalidade concentra a carteira em poucos ativos de baixa liquidez, o que pode resultar em perdas de patrimônio financeiro para seus cotistas que podem superar o capital aplicado, acarretando na obrigatoriedade do cotista aportar recursos adicionais para cobertura do fundo no caso de resultado negativo. Os Fundos de Investimento Imobiliário seguem a ICVM472, portanto são condomínios fechados em que as cotas não são resgatáveis onde os cotistas podem ter dificuldade em alienar suas cotas no mercado secundário. Os Fundos de Investimento em Direitos Creditórios seguem a ICVM356, portanto são condomínios abertos ou fechados, sendo que: (i) quando condomínios abertos, o resgate das cotas está condicionado à disponibilidade de caixa do fundo; e (ii) quando condomínios fechados, em que as cotas não são resgatáveis, os cotistas podem ter dificuldade em alienar suas cotas no mercado secundário. As opiniões, estimativas e projeções refletem o atual julgamento do responsável pelo seu conteúdo na data de sua divulgação e estão, portanto, sujeitas a alterações sem aviso prévio. As projeções utilizam dados históricos e suposições, de forma que devem ser realizadas as seguintes advertências: (1) Não estão livres de erros; (2) Não é possível garantir que os cenários obtidos venham efetivamente a ocorrer; (3) Não configuram, em nenhuma hipótese, promessa ou garantia de retorno esperado nem de exposição máxima de perda; e (4) Não devem ser utilizadas para embasar nenhum procedimento administrativo perante órgãos fiscalizadores ou reguladores. Este conteúdo é informativo e não constitui nem deve ser interpretado como oferta ou solicitação de compra ou venda de valores mobiliários, instrumento financeiro ou de participação em qualquer estratégia de negócios específica, qualquer que seja a jurisdição. Algumas das informações aqui contidas foram obtidas com base em dados de mercado e de fontes públicas consideradas confiáveis. O Grupo Itaú Unibanco e a Kinea não declaram ou garantem, de forma expressa ou implícita, a integridade, confiabilidade ou exatidão de tais informações e se eximem de qualquer responsabilidade por quaisquer prejuízos, diretos ou indiretos, que venham a decorrer da utilização desse material e de seu conteúdo. Esse material não pode ser reproduzido ou redistribuído para qualquer pessoa, no todo ou em parte, qualquer que seja o propósito, sem o prévio consentimento por escrito da Kinea. Quaisquer outras informações ou esclarecimentos sobre o Fundo poderão ser obtidos com o Administrador e o Gestor, através do e-mail: relacionamento@kinea.com.br